Girls HBO | 6x8/6x9 (crítica c/spoilers)




Essa temporada de Girls está me surpreendendo de tantas formas. Mas principalmente pela maturidade dos personagens até então. Finalmente crescendo e aprendendo com seus erros.

“What Will We Do This Time About Adam?” começou simples, sem muito alarde. Pensei que seria o episódio aleatório da temporada, mas não poderia estar mais enganada. Trazer o relacionamento Hannah+Adam é algo tão necessário, que mesmo ao decorrer sentindo um misto de alegria, estranheza, desconforto, e por fim fechamento. Sinto que não poderia haver desfecho melhor para o casal. Muitos “shippam” os dois, mesmo em meio há tantos vai e vens, mágoas, é apenas natural achar que os dois ainda teriam algo.


Afinal são 5 anos.

Mas Hannah assim como nós, precisava enxergar isso para seguir em frente com essa nova etapa de sua vida. Não dar mais pra ser o que era antes.


A cena em que ela encara a caixa onde há uma mulher sozinha com um bebê é essencial para a direção desse episódio. Ali ela começou  ver rachaduras nessa realidade paralela desse dia com Adam. E por fim, na lanchonete. Onde ela finalmente viu que aquele dia e os planos que estavam fazendo juntos, não eram mais possíveis. Por que não havia mais nada entre os dois. Não havia mais nada interessante para os dois. Uma vida com Adam não era o que ela queria nem o que ela precisava. Foi duro de ver, mas libertador. Pude enfim, respirar aliviada.


Precisamos falar sobre Jessa.

Ela estranhamente sempre foi minha personagem favorita. Sempre achei a mais profunda de todas e com mais potencial de desenvolvimento. Ela sempre parecia perdida e ainda está. Isso pelo menos até esse episódio.Talvez para muitos seja difícil engolir esse relacionamento dela com Adam. É uma daquelas coisas que parecem ser destinadas a falhar. É autodestrutivo.

Mas Jessa mudou, e talvez não tenhamos visto por passar muito tempo virando o rosto para sua escolha de parceiro. Mas ai está, ela mudou. Ela escolheu amar, escolheu permanecer e isso mostra o quão frágil isso a tornou. É algo novo para ela. 


É triste ver seu contentamento pelo retorno de Adam. Fiquei com a sensação de que ela merecia mais. Na verdade, ela merece. Espero que esse seja o passo que ela precise, enxergar que pode ficar e ao mesmo tempo que pode fazer isso com alguém melhor.

Eu gosto de Adam, mas o odeio na maior parte do tempo. Sempre impulsivo e de todos é o que ainda não parece estar perto de amadurecer. Mas essa talvez seja uma das mensagens da season. Nem todos irão se encontrar. Nem todos irão atingir seus potenciais. E está OK, afinal, a vida tem dessas coisas.





E finalmente no 9° episódio, Shoshanna apareceu e está noiva! Foi uma surpresa para Hannah, mas de certa forma não para mim. Quando claramente a série esta avançando no tempo a cada episódio, é inevitável os personagens desenvolverem sua história longe da tela. Não acho um desperdício não explorar isso, afinal é a última temporada, e é esperado cortes. Mas não senti falta dessa parte da vida de Shosh, aconteceu e me pareceu bem natural.


A cena do banheiro, não poderia ser mais reveladora e verdadeira. Se pararmos para pensar em cada temporada e em tudo que aconteceu, havia realmente uma grande amizade entre elas? E se havia o que aconteceu?


 
“..Percebi como é cansativa, narcisista e chata a nossa dinâmica” – Shoshanna.


Ela basicamente respondeu qualquer dúvida que tínhamos em relação ao tema, afinal cada uma delas, sempre teve suas vidas, suas opiniões e seus caminhos. E nunca houve de fato um entendimento entre as quatro. 

No final, é apenas como a vida é. Amizades duram ou não. Não vou me precipitar e dizer que esse seria o fim para elas, afinal ainda falta um episódio.



Não posso deixar de mencionar que finalmente Jessa e Hannah chegarem a um entendimento. Talvez a única amizade um dia real entre as quatro, seriam delas duas. Foi emocionante e com certeza a única coisa que não poderia deixar de faltar nesse episódio.



E por fim a decisão de Hannah de deixar Nova York. Toda a cena, mesclando entre a festa e a mudança foi linda, e poética. Ali, ela viu que seu momento na cidade grande havia chegado ao fim, que não havia nada a perder, ou o que deixar para trás. Em sua nova fase ela só precisava acreditar em si mesma e  seguir em frente. 


Aprendi a amar Girls pela sua excentricidade e pouco pudor em nos mostrar de verdade uma história. Ela choca, mas ela é real. É um drama que nos atinge e uma comédia que nos alivia.

Não percam o final da 6° e última temporada de Girls!
Juliana Xavier
Juliana Xavier

INSTAGRAM