Album review | Evolve – Imagine Dragons


Uma das mais aclamadas e ouvidas atualmente no mundo, o Imagine Dragons lançou o seu terceiro álbum de estúdio que ajuda a expandir ainda mais a sua, já enorme, discografia.

Com quatro musicas liberadas antes do lançamento do álbum (“Believer”, “Thunder”, “Whatever It Takes” e “Walking The Wire”), o Evolve conta com onze faixas inéditas, em sua versão standart, e trinta e nove minutos de duração. Nesse review vamos comentar somente as musicas lançadas com o álbum.


A abertura do álbum é feita com “I Don’t Know Why”, uma das melhores musicas do álbum. A musica é diferente do que a banda já vinha trabalhando em trilhas sonoras e em seus álbuns anteriores, assim como uma grande parte das musicas do álbum.  O uso do teclado e dos efeitos eletrônicos (no teclado e na bateria) são pontos presentes nessa musica, sem falar nos vocais de Dan Reynolds, que são incríveis.

“Rise Up” é uma musica de batidas e de um refrão marcante, onde, mais uma vez, se destaca o vocal e também a queda de ritmo no meio da musica para voltar ao ritmo já estabelecido no refrão. “I’ll Make It Up To You”, tem um tom um pouco mais retrô que me faz lembrar vagamente de “Don’t You (Forget About Me)” no solo no final da musica também. “Yesterday”, é uma das mais diferentes do álbum, tem um backing vocal presente e um tempo bem marcado durante a musica inteira. Essa ultima pode ser considerada um dos momentos mais fracos do álbum.


“Mouth Of The River” é uma das mais parecidas com as musicas anteriores da banda. O riff de guitarra e a junção dos instrumentos, dos vocais durante o refrão e na ponte do final é incrível. É possivelmente uma das melhores musicas do álbum. “Start Over”, outro highlight do álbum, é bem percussiva nos refrões e traz elementos eletrônicos consideráveis para a musica, que em algum momento acaba sendo mais puxada para o pop mas sempre com as características da banda. Poderia ser o encerramento perfeito do álbum.

O “Evolve”, assim como o nome diz, traz uma evolução do Imagine Dragons. Os músicos encontraram suas características marcantes e apostaram nelas nas novas faixas, além de também trazerem novos elementos (sejam eles instrumentais, que influenciam diretamente nas faixas, ou de produção que atuam de forma indireta) enriquecendo ainda mais o que já tinham em mãos sem deixar que a sonoridade da banda acabasse por cair na mesmice.

Eduardo Roberto
Eduardo Roberto

INSTAGRAM