Álbum Review | Kesha – Rainbow: Kesha e suas novas cores!


Depois de seu ultimo lançamento, no longínquo ano de 2012, pouco se sabia sobre um novo lançamento musical de Kesha, principalmente após a batalha judicial que a própria enfrentou contra o produtor, agente e dono da gravadora da gravadora onde ela trabalha: Dr. Luke.

Livre (somente) da produção de Dr. Luke, Kesha trabalhou ativamente na composição e produção do novo single, e isso é uma das primeiras coisas que podem ser sentidas no álbum. Outra coisa que pode ser sentida com muita força nesse álbum (principalmente no começo), desde o começo, pelas melodias e letras, é a carga emocional que a batalha judicial comentada no parágrafo acima trouxe a cantora.


O álbum é aberto por “Bastards”, que é uma mistura de folk com pop, o pop mais presente na letra, tem uma presença e suavidade vocal que até então não tinha sido apresentada pela cantora em seus discos anteriores. A musica fala sobre não deixar outras pessoas, os bastardos, como diz a própria Kesha, te jogarem pra baixo.

A segunda “Let ‘Em Talk”, tem participação ativa do Eagles Of Death Metal nos instrumentais, backing vocals e sonoridade, é a musica que mais se aproxima das antigas canções da cantora. A mensagem aqui é simples: Esqueça o que os outros falam sobre você, deixe que falem.

A faixa seguinte é, musicalmente, a escolha perfeita para dar seguimento ao álbum. “Woman”, faixa de empoderamento feminino, tem o instrumental feito pela banda folk/funk The Dap-Kings Horns. “Hymn” segue a mesma linha lírica de força e estimulo ao ouvinte, mas dessa vez com instrumentais contidos e um refrão fácil de pegar.


“Praying”, o lead-single que usa o piano como base para graves pesados traz uma resposta clara à tudo o que aconteceu a cantora, desde a batalha judicial ao momento em que a cantora acho que não poderia mais cantar. Claramente, o “hino para os sem hinos”, que é falado na musica anterior.

“Learn To Let Go”, vem pra reforçar ainda mais a sequencia incrível feita até aqui. A faixa folk, com fundo instrumental country, fala sobre aprender com os erros e seguir em frente.A primeira balada romântica em sete faixas é “Finding You”, que é, sem discussão, uma faixa de musica folk dentro do álbum.
                              
Então chegamos à faixa que dá título ao álbum. “Rainbow” é tocante. Os primeiros versos somente no piano e voz com um crescimento orquestral só auxiliam a carga emocional da letra e da própria cantora, que ao que pudemos ver na gravação da musica estava visivelmente emocionada.


“Hunt You Down” é a segunda musica romântica do álbum uma das várias faixas country que virão no álbum. “Boogie Feet” é a segunda faixa das duas ótimas colaborações com o Eagles Of Death Metal e a primeira em que podemos ouvir a voz do vocalista da banda. Vale ressaltar que a canção foi escrita em colaboração com a mãe de Kesha.

“Boots” vem um uma sequencia de musicas. Com graves um pouco mais pesados a musica também vai para o lado do country. A letra é um pouco mais ousada: aqui a cantora está falando que o namorado gosta de vê-la nua, vestindo somente botas. Essa musica, serve até mesmo como uma preparação para a próxima. “Old Flames (Can’t Hold A Candle To You)” é uma faixa country que Kesha está regravando. A musica é de Dolly Parton, com quem ela faz um dueto.

A penúltima faixa “Godzilla” é uma canção simples de instrumental. Nela temos basicamente voz, violão e alguns pontos com piano. Na musica, a cantora fala, metaforicamente (espero), sobre estar em um relacionamento com o Godzilla. “Starships” tem uma base de instrumental de banjo, nela a cantora fala sobre discos voadores e se sentir deslocada no mundo atual.

Enquanto se ouve o álbum é praticamente impossível ignorar os últimos dois anos da cantora, o que em certos momentos é bom para que se compreenda o sentido de algumas letras. A escolha da ordem das musicas é ajuda muito para para um álbum que já é muito bom se destaque ainda mais.

Eduardo Roberto
Eduardo Roberto