Confira o depoimento de Taylor Swift em tribunal sobre caso de assédio:


Aconteceu nesta quinta-feira (10), mais um dia do julgamento de Taylor Swift sobre o caso de assédio sexual, em que o DJ e radialista David Mueller teria apalpado uma de suas nádegas, enquanto tiravam uma foto num “Meet & Greet” de 2013. Na época, após o suposto assédio, Taylor reportou a atitude de David para a rádio na qual ele trabalhava e o DJ acabou sendo demitido. Mueller reagiu, entrando com uma ação contra Taylor, alegando que havia sido prejudicado por uma acusação inventada por ela e exigindo uma indenização no valor de 3 milhões de dólares. A cantora então processou o radialista de volta, um mês depois, endossando sua acusação de assédio sexual.

Esse teria sido o suposto momento de assédio sofrido pela cantora.
Hoje, pela manhã, Taylor e David se encontraram novamente, dessa vez no Tribunal de Denver, no Colorado. A cantora finalmente deu seu relato sobre o que teria acontecido durante essa sessão de fotos de 4 anos atrás. “Foi uma apalpada. Uma longa apalpada. Não acho que seja importante para o tribunal estimar quanto tempo durou esse toque, mas sei que foi tempo suficiente pra eu ter certeza de que havia sido intencional“, disse ela, em resposta ao advogado de David. “Ele pegou minha nádega por debaixo da saia. Quando senti sua mão me tocando, achei que havia sido sem querer e mudei de posição e foi aí que ele não soltou minha nádega. Eu fiquei assustada. Isso nunca havia acontecido comigo. Rapidamente, me afastei o máximo possível dele”.

Na sequência, o advogado do radialista perguntou porque na foto tirada do momento, a saia dela não parecia levantada na frente. “Porque minha nádega está localizada na parte de trás do meu corpo”, devolveu a cantora. Taylor também negou a possibilidade dita no depoimento de David em tribunal de que ela poderia estar confundindo a apalpada com um simples esbarrão de quem vai se arrumar para tirar uma foto. “Ele não tocou minha costela, ele não tocou meu braço, ele não tocou minha mão, ele agarrou minha nádega. Isso foi muito intencional e o lugar também bastante intencional“, afirmou Taylor.

Em mais uma resposta ao advogado, a loira esclareceu porque não chamou seu segurança na hora do ocorrido: “Foi rápido. Não posso culpá-lo. Nenhum de nós esperava que isso pudesse acontecer. Isso nunca havia acontecido antes. Foi horrível e assustador“. Por fim, questionada sobre como se sentiu ao saber que Mueller havia sido demitido pela estação de rádio após sua denúncia, Taylor foi enfática: “Não vou permitir que você ou seu cliente façam parecer que isso é, de qualquer maneira, minha culpa, porque não é. Estou sendo culpada por eventos infelizes da vida dele que são resultado de decisões dele e não minhas”.

O julgamento já se encontra no seu quarto dia e continua em andamento devendo terminar até a próxima quinta-feira (17).
Ruan Veríssimo
Ruan Veríssimo

INSTAGRAM