American Horror Story | (7x1) crítica s/spoilers



Na nova temporada e sétimo ano. A famosa série antológica, American Horror Story, retorna apostando no medo como base para sua história da vez. 


Quem acompanha a série desde seu primeiro ano sabe que quando se trata de chocar os telespectadores com cenas fortes, diálogos crus e críticos, não há economia com Ryan Murphy.



Em seu episódio de estreia, somos apresentados a dois personagens principais. Ally e Kai. Ally que diante da eleição de Trump tem suas fobias vindo á tona com força total e Kai, que vê nesse novo cenário político a liberdade de lutar pelo que acredita. 


Logo vemos que a série não pretende ficar calada ou economizar nas críticas tanto ao novo governo quanto a sociedade. Ninguém está isento de culpa. Mas apesar da ousadia, ela falha em usar estereótipos extremos de ambos os lados.





A constante presença de pessoas fantasiadas de palhaços traz a atmosfera da franquia The Purge (Uma noite de Crime) ao episódio. Particularmente não achei algo inovador ou criativo. Mas válido. Afinal, por trás de uma máscara qualquer um é capaz de qualquer coisa. 


Ainda não ficou claro o que esperar dessa season, mas se tratando de Ryan Murphy com certeza podemos esperar por muito sangue, atuações memoráveis e grandes sequências de horror.


Em seu sétimo ano AHS não perdeu o fôlego e promete longevidade.
 

Juliana Xavier
Juliana Xavier

INSTAGRAM