Preacher | Segunda temporada : Os novos caminhos do reverendo

Resultado de imagem para preacher segunda temporada

Olá galera! Mais uma temporada de Preacher chega ao fim, e essa merece um destaque especial, afinal, ela seguiu um caminho diferente da primeira temporada. Tomou uma liberdade criativa maior e foi até criticada pelos limites que ela ultrapassou, mas claro, ela teve sempre o pé na HQ, o que pode-se dizer que é a parte boa. 



Apesar de todas as diferenças do material original, o tom, as personalidades e o próprio humor é o mesmo. Cada cena de cada episódio passa exatamente a ideia de está lendo uma HQ de Preacher.

Resultado de imagem para preacher segunda temporada

No entanto, há ressalvas. Como eu disse ela tem um certo destaque, porque tivemos vários personagens novos e conhecidos o que deu um certo prestígio aos fãs, mas muita coisa passou batido e até a própria estrutura narrativa da temporada foi um tanto fraca.



 Como por exemplo: O arco de Eugene e Hitler apareceu apenas em 5 episódios de 13 o que mostra um certo esquecimento e desvalorização do arco focando apenas nos arcos principais.

Resultado de imagem para preacher segunda temporada

Falando nos arcos principais, houveram dois nessa temporada: Um focando no Santo dos Assassinos, e após ele ser derrotado, fomos apresentados á Herr Starr e o Graal. E o que falar sobre isso? Primeiro: A caracterização está ótima, todos os personagens idênticos tanto em personalidade como em visual, porém são mal aproveitados enquanto dão destaque á narrativas que chegam até ser cansativas, traçando um rumo na história onde depois de treze episódios, não houve uma conclusão inteligente como a da primeira.




Segundo: Houveram apelos narrativos para que as coisas rumassem para o desfecho que os produtores queriam, seja em soluções imediatas que beiram o fracasso, como em cenas que estão lá apenas para passar o tempo do episódio para que algo aconteça.

Resultado de imagem para preacher segunda temporada

Entretanto, foi uma temporada boa, não chega á ser melhor que a primeira nem melhor que muitas do gênero, mas não foi ruim, afinal, para os fãs das hqs, foi um espetáculo de referencias e nerdices que faziam até quem não conhece o material original pirar. E afinal de contas parece ter sido esse o objetivo da série, pois pelos artifícios usados, piadas e críticas sociais ao longo da temporada ela cumpriu com o que lhe foi mandado, apesar dos erros, a série não perde o seu brilho.

Guilherme Soares
Guilherme Soares

INSTAGRAM