The Mist | Não é um bom ano para as adaptações de Stephen King (crítica s/spoilers)




The Mist, série com 10 episódios, baseada no conto de mesmo nome, erra feio em cada momento possível durante toda temporada. Nada funciona. Nem mesmo os atores mais “conhecidos” conseguem salvar a trama. 


É difícil de assistir algo com grandes possibilidades, sendo desperdiçado de forma grotesca. O roteiro é pobre, mal escrito. As cenas são de baixa qualidade, forçadas, fora de ritmo e contexto. 


As atuações são tão ruins, que fica difícil saber se é por culpa do roteiro ou do elenco. Podemos ver que há um esforço por parte dos atores de entregar o que cada personagem pede, mas ainda assim não é o suficiente. O roteiro simplesmente não permite que haja uma boa atuação. 



Toda a trama gira em torno da pequena cidade de Bridgton. Onde um estranho nevoeiro toma conta das ruas e mata qualquer um em que entrar em contato. A atmosfera de medo, do desconhecido novamente falha. E não por culpa do nevoeiro (que atua melhor que qualquer ator ou atriz dessa série) e sim pelo roteiro e direção que não soube construir ou desenvolver qualquer coisa. 


Cada núcleo supera-se em mal gosto e em ser sem graça. As cenas na igreja é o maior erro de toda a serie. Nem mesmo Frances Conroy (AHS) consegue se salvar. Toda a narrativa é desconjuntada. É apelativa e desnecessária em seu objetivo final da temporada. 

Um grande desperdício.


O “melhor” núcleo se concentra em Kevin (Morgan Spector), Mia (Danica Curcic), Bryan (Okezie Morro) e Adrian (Russell Posner) É onde toda a ação da série praticamente se passa. Os quatro pulam de perigo a perigo para só então no ultimo episódio, conseguirem chegar ao destino final. O shopping.


E chegando ao núcleo do shopping, temos Eve (Alyssa Sutherland- Vikings) e Alex (Gus Birney). Tudo que acontece e não acontece no shopping, são um grande anticlímax. O interesse do nevoeiro por Alex é inexplicável, tanto durante quanto depois. Literalmente, não foi explicado. 


Na série há grande duas revelações. Um que serve como plot twist totalmente previsível. E outro que vem em um momento errado e completamente sem encaixe (1x10).


Ao final de 10 episódios a serie encerra sem dar qualquer explicação sobre o nevoeiro, o que até funcionaria se tudo o mais tivesse funcionado. Mas diante de tantos erros, uma explicação, menor que seja, seria bem vinda. Tanto para alimentar nossa curiosidade quanto para de salvar.



Afinal, o que é o nevoeiro? Algo sobrenatural?

Uma arma do governo?


Se renovada, não sei o que esperar de um segundo ano. Mas com certeza seria um bom momento para pensar em como e no que melhorar. Em outras palavras, em tudo.
 



Juliana Xavier
Juliana Xavier