REVIEW | South Park: A Fenda que Abunda Força


Em 2014, a Ubisoft nos apresentava South Park: The Stick of Truth, dos mesmos criadores criadores de Fallout: New Vegas, com a ajuda dos criadores da série animada, Trey Parker e Matt Stone. E finalmente, depois de alguns adiamentos e atrasos, South Park: A Fenda que Abunda Força é lançado.



Começando pela trama do game, que se inicia com você, o Novato, brincando com sua armadura medieval, quando Eric Cartman, fantasiado do herói Guaxinim, vai ao passado para tentar resgatar um gato que foi roubado.

Cartman tem a intenção de reunir o grupo chamado "Guaxinim e Amigos", para resgatar o animal e receber uma recompensa de 100 dólares, que iria ajudar o grupo a construir sua franquia de super-heróis, superando seus rivais, os Amigos da Liberdade.



O game cria uma narrativa excelente sobre os filmes da Marvel e da DC. Realizando uma "Guerra Civil" entre os personagens, sem contar as inúmeras referências a diversos outros longas.



É importante salientar que South Park tenta ser o seriado de uma forma dinâmica e interativa, com uma dose de humor que te faz rir em alguns momentos, mas poderia ser melhor. O game rompe todas as ligações com o politicamente correto e trata temas como racismo, sexualidade, pedofilia e política de forma sarcástica e irônica, portanto, se atente bastante antes de jogar.

Sua primeira ação durante o game é criar seu personagem. A escolha da dificuldade é feita de acordo com a tonalidade da pele do Novato. Jogar com um personagem de pele branca é mais fácil do que jogar com um personagem de pele negra por exemplo.



As batalhas são em turnos e muito fáceis, até mesmo para quem não é amante desse gênero, porém, precisamos ficar em alerta para o posição de cada personagem, área de efeito das habilidades e mais.



Cada personagem em South Park possui diferentes técnicas e mecânicas, inclusive o protagonista. Devemos levar em conta que na hora do combate os companheiros que escolhemos, habilidades, artefatos e consumíveis realmente importam, ao contrário do primeiro game.

O game possui um mapa semelhante ao de seu antecessor, mas agora, possui muitas mais missões secundárias e diversas atividades para serem realizadas, como acionar todos os pontos de viagem rápida, tirar selfies com os moradores da cidade para ganhar mais seguidores no Guaximgram, coletar artes Yaoi, etc.



Também há a existência de um sistema de criação de itens, que nos permite fabricar consumíveis, fantasias de super-heróis. Tudo de uma forma extremamente simples.

O jogo está 100% localizado para o português brasileiro, com dublagens e legendas, porém, em diversos momentos é perceptível e falta de sincronia entre as falas e o que acontece durante o gameplay.

Conclusão




South Park: A Fenda que Abunda Força é melhor do que seu antecessor em todos os aspectos técnicos, como o combate e missões mais divertidas, embora sejam repetitivas em alguns momentos. A narrativa é bem interessante, e mantém a essência do seriado, sem falar nas incontáveis referências a filmes de heróis. O jogo consegue arrancar do jogador, cerca de 20 horas de gameplay, com um humor que diverte, mas é bastante raso e poderia ser melhor. Por fim, a Ubisoft nos entrega um game que tinha tudo para ser uma experiência memorável e extremamente engraçada, que se desenrola em um game apenas bom, ganhando nota 8 em nosso review.

South Park: A Fenda que Abunda Força está disponível para Xbox One, PlayStation 4 e PC. Essa análise foi feita com uma cópia de PC cedida pela Ubisoft.
Felipe Vidal
Felipe Vidal

INSTAGRAM