Fear The Walking Dead | 3° Temporada (crítica c/spoilers)




Fear the Walking Dead encerra seu terceiro ano com grandeza. Não é preciso muito para entender por que essa temporada foi sua melhor fase desde que começou. 


Desde pequenos detalhes a grandes mortes, a série navegou por diversos aspectos humanos que trouxeram não só perda mas também evolução para seus personagens.



Foi definitivamente uma temporada de perdas. Começando com Travis até a morte de Troy Otto. Fear não poupou ninguém. O lado bom de se ter um enredo onde os personagens até então, não são tão enraizados na trama, é poder mata-los sem causar uma grande perda mas ainda assim, ser o suficiente para deixar uma impressão. Mas sua segunda parte com certeza foi uma verdadeira "limpa" no elenco. Sinceramente não houve uma morte impactante. Algumas eram bem previsíveis pra falar a verdade. Talvez Travis foi a mais chocante, mas se for parar para avaliar todo seu progresso até sua morte, não é difícil imaginar o quão fácil foi dizer adeus ao seu personagem.


A família Otto foi uma grande base para a transformação dos protagonistas. Levando Madison aos limites do que é certo ou errado e despertando Alicia a sua verdadeira força e jeito para liderança. Vou sentir falta dos irmãos Otto.


Infelizmente nem todos sofreram melhora nessa temporada. Nick é o principal senão o único a continuar estagnado no mesmo personagem sem utilidade. Nem mesmo seu "grande sacrifício" final foi o bastante para nos trazer um pouco de simpatia para ele. Eu preciso acreditar que há um futuro brilhante escondido para ele no futuro, por que o fato dele estar vivo até então, para mim é inexplicável. 



Tudo que ele passou até agora e a maneira que ele sobreviveu, apesar dos pesares, soa quase conveniente. Eu realmente esperava sua morte nesse final. De fato, Troy apesar de não ser um personagem com expectativa de longevidade na série, merecia mais estar vivo do que ele. Mas essa temporada precisava terminar sem pontas soltas, do contrário, talvez não fosse tão bem sucedida. 


E ouso pensar que talvez as medidas de Madison para assegurar a segurança do rancho foram exatamente o que levou a sua ruína. Afinal, ela não conseguiu controlar Troy e ele por sua vez guiou a horda até lá. Justo ser ela a acabar com seu próprio experimento humano.


Há dois personagens que não tiveram tanto destaque na série no todo, mas tiveram papéis importantes. Victor por razões desconhecidas continua sendo perdoado e salvo. Não me entenda mal, eu gosto de seu personagem, mas ele é acima de tudo um vigarista. Não se pode confiar nele, isso já se tornou mais do que óbvio. Já Daniel, continua vivo e me pergunto, por que? Não vejo mais possibilidade para o personagem. A não ser que ele se torne um mentor para Nick, ai sim seria algo interessante.


No geral, foi uma excelente temporada, com muitos altos e pouquíssimos baixos. Uma redenção para a segunda. Definitivamente vale a pena continuar acompanhando-a. E com a estreia da 8° temporada de The Walking Dead, você não terá tempo para sentir falta do universo zumbi de Kirk.


Ah, e já foi confirmado o crossover entre as séries. Imperdível não?

Juliana Xavier
Juliana Xavier

INSTAGRAM