Kelly Clarkson fala sobre novo álbum: “Esse é o primeiro álbum que fiz que não liguei para minha mãe querendo desistir”


Kelly Clarkson é a nova capa da revista Variety, essa edição celebra o poder da mulher. O objetivo da revista é homenagear mulheres que têm impactos filantrópicos em Hollywood, a cantora é a porta voz de uma instituição que ajuda crianças e jovens carentes, a XQ Institute.

Na entrevista a cantora falou sobre o novo álbum, intitulado "Meaning Of Life", a nova fase e pelo que passou durante a carreira.




Uma das musicas com muito destaque é "Go High", faixa inspirada pela ex-primeira dama Michelle Obama. 

“Lembro de ver na TV e eu apenas enlouqueci. Você não precisa ser um político para ter experimentado isso. Eu acho que representa muitos de nós naquilo que você faz na vida”.

Kelly sempre teve exito em sua carreira e isso não quer dizer que ela também não teve baixos durante o seu caminho. A cantora ficou longos anos presa por um contrato a sua antiga gravadora e ela brigava com frequência com os executivos desse estúdio.

“Eu acho que muitos artistas têm essa história onde você sente que está sendo colocado em uma caixa. Eu representava um certo caminho que eles precisavam para obter algum lucro. Tanto faz. Não é todo o artista que teve um casamento arranjado logo após uma certa situação”.

Depois de sua vitória, ela foi pressionada quando se tratava de perspectivas comerciais. Seu primeiro sucesso, “Miss Independent”, não era bem visto pela sua gravadora. “Eu tive que chorar para pegar essa música não só no meu disco, mas como o primeiro single”, revelou.”A única razão pela qual queria como o primeiro single foi porque eu me sentia bem. Todo mundo falava, ‘Não pode ser. Há muitas guitarras. Esse não é realmente o seu som. Você é a próximo Whitney Houston'". No entanto, ela não concordava. “Eu adoro Whitney Houston, mas não queria imitar ninguém”





Em 2004, o lendário executivo Clive Davis assumiu a RCA e Clarkson pensou que talvez as coisas melhorassem. Ela não imaginava toda a briga em torno do álbum “My December”, de 2007, que ele tentou engavetar. O conflito, na verdade, começou antes disso. O grande sucesso “Because of You” também não teve apoio da gravadora. “Me diziam que a música era uma droga porque não tinha rima”, disse. “Um grupo de homens achou que era bom ficar ao redor de uma jovem mulher e intimidá-la. Foi me dito que eu deveria me calar e cantar. E então, esta é a melhor parte. Ele [Davis] me enviou a música que deveria estar no álbum, que era 'Behind These Hazel Eyes', que eu tinha escrito. Então como eu era uma compositora tão ruim?”, desabafou.

“Parece sempre que eu estou indo contra Clive Davis. Você não tem idéia de como eu fiquei animada quando descobri que ele estava no comando da gravadoora. É como conhecer alguém que você idolatrou desde que você era criança e então ficou desiludido. A única vitória que vejo nos últimos 15 anos é, honestamente, o fato de que, mesmo em um ambiente incrivelmente não saudável, tivemos muito sucesso”.

Agora com gravadora nova, o “Meaning of Life” é o álbum que ela sempre quis fazer. Segundo ela, os novos executivos permitiram total controle criativo. “Esse é o primeiro álbum que fiz que não liguei para minha mãe querendo desistir”, diz Clarkson. “E eu não sou um bebê. Eu sou forte. Há músicas sobre isso! Eu sou uma mulher muito poderosa e confiante, mas ao mesmo tempo, você simplesmente se sente abatida”

Eduardo Roberto
Eduardo Roberto

INSTAGRAM