Lupita Nyong’o acusa Harvey Weinstein de assédio sexual

Resultado de imagem para Lupita Nyong’o
E as notícias sobre Harvey Weinstein continuam.

Mais uma atriz veio a público para compartilhar sua trágica experiência de assédio sexual envolvendo o empresário. E desta vez foi a vencedora do Oscar, Lupita Nyong’o (12 Anos de Escravidão).


Publicado em um artigo do New York Times, Lupita falou de acontecimentos que a levaram a uma circunstância extremamente delicada.

“Eu escondi minha experiência com Harvey por muito tempo nas extremidades da minha mente, me unindo à conspiração do silêncio que permitiu que este predador vagasse por tantos anos. Mas agora que isso está sendo discutido, não consigo evitar com que essas memórias renasçam. Eu passei muito mal, senti uma ira por saber que a experiência que me recordo não foi um incidente único comigo, mas sim parte de um padrão de comportamento sinistro”.


A atriz contou ainda que chegou a ser convidada por Weinstein a uma exibição privada em sua casa, em 2011, quando ainda era estudante na Yale School of Drama. Embora a família do empresário estivesse presente, Lupita revelou que apenas 15 minutos após o início do filme o produtor insistiu que ela o acompanhasse e se deparou dentro de seu quarto, onde ele pediu que ela fizesse uma massagem.

“Primeiro eu achei que fosse uma brincadeira. Mas não era. E pela primeira vez desde que eu o havia conhecido eu me senti insegura. Eu entrei um pouco em pânico e rapidamente pensei em eu lhe fazer uma massagem, pois isso me permitiria estar em controle – fisicamente – para saber exatamente onde suas mãos ficariam o tempo todo”.


Lupita disse ainda que essa postura racional foi possível graças ao próprio curso de atuação de Yale, cuja metodologia utiliza-se da técnica de massagem aplicada no outro como ajuda para compreender a conexão entre o corpo, a mente e as emoções.

“Eu comecei a massagear suas costas para conseguir um pouco mais de tempo para pensar em como eu poderia sair dessa situação tão indesejável. Pouco depois ele disse que queria tirar suas calças. Eu o disse para não fazer isso e esclareci que isso me deixaria extremamente desconfortável. Ele se levantou mesmo assim para fazer isso e eu saí pela porta, dizendo que não estava à vontade com aquilo”.


O último encontro dos dois aconteceu na estreia de 12 Anos de Escravidão, em 2013. Na ocasião, eles conversaram em particular e o empresário admitiu estar “envergonhado de suas ações” e prometeu respeitá-la para seguir em frente. Mesmo assim, a atriz nunca mais quis trabalhar com Weisntein.

“Eu compartilho tudo isso porque agora sei o que antes não sabia: que fazia parte de uma comunidade crescente de mulheres que secretamente estavam lidando com assédio por parte de Harvey Weinstein. E eu espero que estejamos em um momento crucial onde uma irmandade de aliados – tanto feminina como masculina – esteja sendo formada na nossa indústria. Espero que possamos formar uma comunidade onde a mulher possa falar sobre abuso e não sofrer outro abuso ao ser desacreditada e ridicularizada. É por isso que não nos abrimos: pelo medo de sofrer duas vezes e pelo medo de sermos rotuladas e caracterizadas pelo momento em que estávamos de mãos atadas”.


Chris Sevla
Chris Sevla

INSTAGRAM