REVIEW | Wolfenstein II: The New Colossus


Em uma época onde os shooters são cada vez mais parecidos e possuem as mesmas premissas, Wolfenstein II chega para trazer uma ar mais divertido e brutal para o gênero, assim como seu antecessor e Doom.

Se em Wolfenstein: The New Order já conseguíamos ter um pouquinho da nostalgia dos games da década de 90, a sequência faz isso de uma maneira melhor e incrivelmente mais satisfatória.

Para entender a trama do game, é necessário ter jogado seu antecessor, já que é uma continuação direta do mesmo. Os nazistas dominaram o mundo e William Joseph “B.J.” Blazkowicz está a beira da morte ao ser ferido gravemente, até ser resgatado por seus amigos. Mesmo com seu estado físico e mental abalado, B.J. resiste e acaba com a festa dos inimigos.



O início do game é bem poético e nos apresenta a infância traumática do protagonista, no qual possui uma mãe judia e um pai racista, extremista e opressor, que não tolera que seu filho seja visto andando com uma amiga negra.



A introdução do game nos faz lutar com nosso pai. Em um momento desagradável, temos que tomar decisões que embora não mudem muito a linha temporal do game, pode mexer com o emocional de jogadores mais sensíveis.

Depois dos momentos de flahsback, finalmente vamos para a ação, controlando um B.J. de cadeira de rodas e só levantamos com a ajuda de um traje especial. As cenas inicias também nos revelam do porque o protagonista tem tanto ódio do regime nazista e do autoritarismo.



Deixando de lado a campanha, vamos falar sobre as mecânicas de Wolfenstein II, que como um shooter, cumpre seu papel com excelência. E o segredo disso é simples. Em vez de se agarrar a diversos elementos de RPGs ou tentar empurrar missões em stealth onde haja muito preparo e enrolação, o jogo é "curto e grosso", o objetivo é único: equipar sua metralhadora e shotgun, uma em cada mão, e matar da forma mais violenta possível, tudo que aparecer na sua tela.



Falando sobre armas, Blazkowicz conta um bom arsenal a sua disposição, porém, uma delas muda de acordo com uma escolha feita no início do game. Como já dito antes, equipar duas armas de modo simultâneo é possível e o jogador pode fazer isso em qualquer momento, mas é claro que com isso perdemos a opção de zoom, mas você é o Rambo com feições arianas então não é necessário.

Durante nossa exploração, mesmos nas dificuldades mais extremas o jogador não precisa poupar munição, já que encontramos aos montes. Também podemos procurar por peças de armas que funcionam como um upgrade para nossos brinquedos. Não há mistério nenhum, só encontrar um artefato, ir ao menu e selecionar a melhoria desejada, que não são muitas.



A dificuldade do game, para muitos pode ser desafiadora até na opção normal, mas nada que um pouco de prática não resolva. O principal problema seria a falta de indicações de dano, como vemos comumente em títulos como Call of Duty, Battlefield, etc. Essa com certeza deve ser uma das principais causas para as várias mortes de outros jogadores. A inteligência artificial dos inimigos é boa e pode surpreender várias vezes

The New Colossus, diferentemente da vários de shooters do mercado, não possui uma narrativa 100% linear. Os cenários são bem abertos e permitem ao jogador, atacar os inimigos e cumprir a missão de diferentes formas.

Graficamente, o jogo é bem bonito, e suas CGs são incrivelmente bem detalhadas e belas, com muito humor negro e uma trilha sonora de tirar o fôlego, tendo covers excelentes de Mick Gordon, que já trabalhou com a Bethesda anteriormente.



O game está totalmente localizado para o português brasileiro. A dublagem é boa, mas a falta de sincronia e entonação em alguns momentos pode fazer com que a magnitude das cenas perca a graça e profundidade.

Conclusão

Wolfenstein II: The New Colossus é uma sequência excelente, que honra fielmente o nome da franquia e traz de volta a nostalgia dos primeiros jogos. Com uma jogabilidade ótima, violência frenética ao decorrer da campanha, narrativa boa e uma trama distópica muito divertida, a Machine Games nos entrega um game que além de ser um dos melhores da geração e da franquia, cumpre de modo excelente seu papel como shooter, recebendo nota 9,5 em nosso review

Wolfenstein II: The New Colossus está disponível para Xbox One, PlayStation 4 e PC.
Felipe Vidal
Felipe Vidal

INSTAGRAM