Crítica | Star Wars: Os Últimos Jedi - O limite do que poderíamos esperar


Não é de hoje que Star Wars arrasta multidões até o cinema, e isso vem se tornando evidente se analisarmos os números de 'Star Wars: O Despertar da Força', mas agora nós vamos falar do oitavo episódio da saga que vem dividindo opiniões entre os fãs.


Se você é um fã nato de Star Wars com certeza já deve ter assistido ao filme nos cinemas (e se não, saia imediatamente desse artigo, pois ele pode conter alguns spoilers), e uma coisa na qual pode se perceber é a diferença entre o que já vimos para o que vemos agora, o que se justifica se analisarmos a época na qual Star Wars iniciou sua jornada no cinema, para hoje onde vemos um universo consolidado tanto em hqs, livros, séries animadas e claro o cinema, e com isso podemos destacar um ponto que chega a ser negativo dependendo da sua visão: Star Wars se tornou uma enorme "árvore de dinheiro" para a Disney após a sua compra, uma "árvore" que vem trazendo muitos frutos, e isso fica evidente quando assistimos uma super produção que deixa alguns assuntos inacabados para explicar melhor por outro veículo midiático. Para o fã que corre atrás de tudo que envolve a franquia, é ótimo, mas para quem apenas assiste o filme, vai ficar com aquele gostinho de quero mais, e a duvida eterno, mas cedo ou tarde a curiosidade o obrigaria a correr atrás da informação, e assim fazendo-o comprar mais produtos de Star Wars.



Em um certo caso, podemos comparar 'Star Wars: Os Últimos Jedi' com a aclamada série 'Game of Thrones', mas como as duas se assemelham? Ambas são grandes produções, e quanto mais cara a produção, mas ela faz de tudo para agradar o seu fã, não que se veja isso como totalmente negativo, porém, a narrativa começa a se tornar previsível e em alguns casos o que chamamos de "fanfic".

Entretanto, em termos técnicos, podemos dizer que como sempre o John Williams destrói na trilha sonora trazendo de volta toda a a nostalgia da trilogia original da franquia, além do filme ter uma fotografia magnifica de lavar os olhos, efeitos gráficos maravilhosos, as atuações impressionantes, inclusive a do Mark Hamill que se superou depois da sua atuação na trilogia original, nesse filme ele consegue mostrar toda a dramaticidade do personagem e realizar bem os seus conflitos pessoais além de assar isso ao público fechando perfeitamente o arco do personagem depois de tantos anos.



O episódio nove da franquia apresentou elementos novos, sejam narrativos, visuais ou até novas idéias, mostrando que o Ryan Johnson está de fato saindo da sombra da trilogia original, e trilhando seu caminho para uma nova geração, claro, sem abandonar por completo o Star Wars que conhecemos.

E você o que achou do nono episódio da franquia? quais foram os pontos fortes e fracos na sua opinião? Conta pra gente nos comentários!
Guilherme Soares
Guilherme Soares