The Resident | Medicina do grotesco (crítica 1x5 s\ spoilers) - PREMIERE LINE

NEWS

sexta-feira, 2 de março de 2018

The Resident | Medicina do grotesco (crítica 1x5 s\ spoilers)

Em seu quinto episódio, The Resident anda em círculos, involuindo seus personagens e cada vez mais perdida em seu roteiro ao tentar chocar sem se preocupar em ser sensível ao público que o assiste.

Atualmente temos visto uma certa liberdade em conteúdos cada vez mais gráficos na TV. Mesmo que em horários tardios, séries do tipo ainda alcançam o público mais jovem. E The Resident parece não saber qual é seu público. 
Um bom exemplo disso é, se você tem três opções de um mesmo gênero para ver, por exemplo, The Good Doctor, Grey's Anatomy e The Resident. Qual delas é mais provável de ser deixada de lado? Uma série onde todos os núcleos são bem desenvolvidos e não há um só personagem mal aproveitado que mesmo em seus erros ainda consegue ser amado pelos seus fãs. Uma série nova e já bem sucedida, carismática, sensível e para todos os públicos ou uma série onde não há um só personagem que desperte empatia, onde seu roteiro é brusco, de mal gosto e falha em transmitir o mínimo sobre o valor da vida humana pregando explicitamente que é "tudo sobre o dinheiro".

Fica quase impossível defender a aposta da Fox. 

Tudo pode melhorar, mas esse não é o caso de The Resident. 
 
Ela apenas fica mais sem cor, sem limites e sem um milagre que possa salva-la. O desgosto de ver situações degradantes, onde erros médicos são tratados e encobertos como um show, em prol do dinheiro, simplesmente não funciona. Você não precisa expor apenas a sujeira na expectativa de convencer a audiência. Quem assiste séries do gênero a essa altura já sabe que nem tudo é um mar de flores, que dinheiro move um hospital, mas que acima de tudo, o paciente deve vir em primeiro lugar. Ele importa. E The Resident falha miseravelmente nisso. A impressão que fica é estarmos vendo um jogo sádico e baixo entre médicos tentando ser melhores e estarem mais corretos que o outro, em uma aposta para chegar a uma linha de chegada onde só haverá morte como prêmio. Mas tudo bem não é? Afinal, dinheiro é o que mais importa e acima de tudo estar certo. 

O quinto episódio apenas é um prova grande de que erros médicos acontecem e impunidade é o carimbo mais usado nessa história sem futuro, sem alma e fadada ao esquecimento.

Pages