The Resident | O quanto você está disposta a sacrificar? (1° Temporada crítica s/spoilers) - PREMIERE LINE

NEWS

Home Top Ad

Post Top Ad

3 de junho de 2018

The Resident | O quanto você está disposta a sacrificar? (1° Temporada crítica s/spoilers)


The Resident encerra sua 1° temporada com uma melhora considerável desde seu piloto, mas que não a torna memorável ou a salva de seus pecados.

É engraçado ver o quão seu público parece gostar da série, sendo que parte desse mesmo público não acreditava que a mesma seria renovada. Mas em meio ao massacre de cancelamentos que o mês de Maio trouxe, ter séries como The Resident renovadas e séries como Rise, Lucifer, The Crossing, Everything Sucks!, ou mesmo Sense 8 canceladas, nos faz perguntar a razão que levou as emissores a tomarem tais decisões.


Acredito que The Resident se salvou não pela audiência (que nunca foi boa) mas sim pelo vasto elenco conhecido e também por ser uma produção original da emissora.

Você pode questionar "mas, não é por que a história da série é boa e por isso ela ganhou o mérito de ser renovada?"

Olha sendo bem sincera, menos BEM menos. 


A série com certeza melhorou, mas não o sufiente para ter uma chance de chegar perto da já familiar Grey's Anatomy ou mesmo da novata e muito bem sucedida The Good Doctor.

O grande pecado em The Resident é a falta de empatia de todos os médicos nela.  Não há um médico sequer que chegue próximo a aparentar ter sentimentos ou de se importar com o paciente da vez. E quando eles tentam mostrar emoção, acaba saindo errado e apático. Os personagens são grandes caixas vazias revestidas de ego e ganância. 


O único ponto positivo na série é a trama principal que apesar de lenta conseguiu se manter e compensar em seu episódio final. O desfecho de Lane Hunter não poderia ter sido melhor. Mostra que pelo menos um dos médicos nessa série não pode sair impune de seus erros.

Emily VanCamp como enfermeira Nic, carrega a série e é a única personagem que consegue tirar o melhor de seu tempo em tela. 


Já Dr. Devon Pravest teve cada vez menos destaque ao longo da temporada. E por muitas vezes esqueci que ele era um dos protagonista, o que não pode ser um bom sinal.


Dr. Conrad Hawkins é um dos personagens mais caricatos, sem expressão (ou melhor, ele só tem uma expressão, a de armado e sorridente) e egocêntrico. Sua postura durante toda a trama foi antipática, irresponsável e pouco atraente. É quase como se ele tivesse assistido muito House e pensasse que poderia ser também. Não Conrad, você não pode.
 


No geral, The Resident sobreviveu ao massacre dos cancelamentos. Com pouco destaques e um saldo mais negativo do que positivo. Arrisco dizer que se ela não tiver mudanças drásticas em seu cast ou em seu modus operandi pode não sobreviver a um próximo massacre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Pages