CRÍTICA: Ponto Cego - Não feche os olhos para esse filme - PREMIERE LINE

NEWS

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

CRÍTICA: Ponto Cego - Não feche os olhos para esse filme


"Uns rimam por ter talento, eu rimo porque eu tenho uma missão". Essa frase dita na música Triunfo do Emicida cabe muito bem para essa história. 

Em Oakland, Califórnia, o ex-presidiário Collin (Daveed Diggs) enfrenta os últimos dias de liberdade de condicional antes de acertar as suas contas com a justiça. Mas quando presencia uma troca de tiros envolvendo policiais, ele hesita sobre a melhor coisa a fazer e conta com a ajuda de seu amigo de infância, Miles (Rafael Casal). Contudo, o caso expõe as diferenças de pensamentos entre ambos e revela os traumas sociais de cada um.

A montagem começa num ritmo de ópera, bem tranquilo enquanto vemos o personagem principal saindo de sua sentença e voltando a sua cidade natal. Já fica bem claro que a direção do filme deixa a trilha sonora encarregada de uma boa parte de tudo que vai se passar na trama. Para quem curte cinema clássico é bom se desapegar da montagem normal, pois aqui o ritmo das cenas em sequência é muito parecido com o que nós temos em clipes musicais, que dá para a história um peso localizado e abrindo espaço para cenas completamente lindas e mais alegóricas, dando um ar muito poético em determinados momentos como no seu final e em uma sequência em que vemos Colin tendo um sonho perturbador sobre um possível retorno a prisão.

As atuações são imponentes, com todos os personagens tendo seu arco dramático muito bem contado, sem barrigas, sem exageros e sem deixar nenhuma dúvida quanto a moralidade, sempre frisando que os comportamentos são reflexos da sociedade onde vivem e das experiências as quais cada um é submetido. E meus amigos o final do filme é de tirar completamente o ar dos pulmões como se um soco tivesse sido dado na boca do seu estômago. O texto tem toques altos de comédia e todas as piadas funcionam muito bem mas quando vai para a parte mais tocante aí sim fica evidente o quanto um ótimo roteiro e atuações bem dirigidas fazem a diferença. 

Com críticas ásperas ao comportamento moderno e a apropriação cultural o filme deve ser assistido por todas as pessoas que alguma vez na vida já levaram uma dura policial por alguma vestimenta, que foram seguidas por seguranças em lojas e que algum dia simplesmente pelo local onde moram já foram taxados como algo ruim.

Dirigido pelo estreante Carlos Lopez Estrada contando com nomes no elenco de Daveed Diggs (Extraordinário), Rafael casal (The Away Team) e Janina Gavankar (Sleepy Hollow) o filme estreia no Brasil dia 04 de Outubro de 2018.

NOTA: 5/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pages