CRITICANDO | Aquaman - Não um rei e sim um herói - PREMIERE LINE
E quem diria que o Aquaman seria a salvação da DC?

Arthur Curry (Jason Momoa), mais conhecido como Aquaman, ainda é um homem solitário, mas quando ele começa uma jornada com Mera (Amber Heard), em busca de um algo muito importante para o futuro de Atlantis, ele aprende que não pode fazer tudo sozinho.


Aqui temos a volta do "Homem Peixe", personagem que já havia sido apresentado para nós em Batman vs Superman e Liga da Justiça e ao contrário do que as pessoas pensam o filme não é uma história de origem, não totalmente. Umas pinceladas de passado se condensam ao decorrer do filme apenas para explicar como o cara que vimos em Liga da Justiça não é o rei de Atlântis e o porque disso não ter ocorrido.


O longa é ágil, certeiro e não tem medo nenhum de abraçar a galhofa. Em momento nenhum se prende a uma seriedade desnecessária, brinca com esteriótipos e não está muito preocupado em conectar-se com o resto do mundo da DC, apesar de que a luta contra o Lobo da Estepe é mencionada aqui por Mera.


Uma coisa para se exaltar é com toda a certeza o design de produção do filme, que nos dá uma Atlântis belíssima, roupas de personagens altamente detalhadas, uma riqueza ímpar de visual em comparação a qualquer outro filme de heróis. O filme é completamente tomado pelo CGI, uma vez que toda movimentação embaixo d´agua tem que ser mais fluida. Para quem se deixar imergir vai ser uma experiência excelente, para quem ficar procurando uma mobilidade ou fidelidade a física vai se incomodar.


As atuações são um show a parte, eu particularmente me surpreendi bastante com a atuação de Dolph Lundgren como Rei Nereus porém o destaque não tem como não ir para Jason Momoa, o cara é uma força da natureza e domina completamente todas as cenas na qual aparece. Lutando, fazendo piada, sendo bad ass e tendo um arco de crescimento bem interessante durante o filme. A Mera é um personagem de quadrinhos ali, feito de carne e osso na sua frente. Suas lutas e poderes são muito bem explorados e tudo que ela faz quando manipula a água me fez pensar no PORQUE MEU DEUS A GENTE NÃO TEM UMA TEMPESTADE FODONA.


A direção é muito competente, fazendo com que o filme tenha seus momentos e mesmo quando vai se arrastando um pouco no meio, faz questão de entregar visuais belíssimos e lutas de tirar o fôlego. James Wan vai cravando definitivamente seu nome como um dos melhores diretores dessa geração. Com algumas referências ao próprio Aquaman das hq´s, como algumas piranhas e golfinhos e um mini spoiler: Tem o radar do Super Amigos no filme e não é nada ridículo.


O roteiro é bem consciente e centrado, não dá voltas desnecessárias e apesar de simples consegue entregar arcos maduros e definidos. Sem bagunça ou pressa aqui tudo tem seu tempo.


O detalhe negativo da parte técnica fica por conta da trilha sonora que em alguns momentos do filme parece destoar de toda a vibe, com misturas de trilhas poderosas em momentos de luta, mas em alguns momentos passa rapidamente para uma coisa pop sem noção.


Dirigido por James Wan (Jogos Mortais) e com elenco de Jason Momoa (Frontier), Amber Heard (garota Dinamarquesa), Willem Dafoe (Homem Aranha), Patrick Wilson (Invocação do Mal), Nicole Kidman (Big Little Lies), Dolph Lundgren (Creed 2) e Yahya Abdul Mateen (O Rei do Show) o filme estreia no Brasil no dia 13 de Dezembro de 2018.


NOTA: 4/5

Pages