Crítica | Justiceiro (2° Temporada) - Um ano mais sangrento e com ressalvas, mas com ótimos momentos - PREMIERE LINE

NEWS

sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Crítica | Justiceiro (2° Temporada) - Um ano mais sangrento e com ressalvas, mas com ótimos momentos



Eis que chegamos na primeira das duas últimas sobreviventes da aliança Netflix/Marvel. Juntamente com Jessica Jones, que ainda não tem data definida para estreia de sua segunda temporada, Justiceiro é a outra única existente após cortes que levaram Luke Cage, Punho de Ferro e Demolidor.

Com uma apresentação incrível na segunda temporada de Demolidor e um primeiro ano cheio de ação, a série consegue trazer um Frank Castle quebrado pela morte de sua família e traído de todas as maneiras possíveis, mas que ainda assim mantém sua bússola moral e consegue acabar com Billy Russo, antagonista da primeira temporada.




Já no ano atual, somos apresentados a dois vilões principais. Billy, que retorna dessa vez assombrado pela falta de memória após os eventos do primeiro ano, que deixaram seu rosto cheio de cicatrizes mas sem saber o por que.

O segundo aparece mais pelo fato de Frank não conseguir se meter fora de confusão, mas ainda assim se torna memorável por ser guiado apenas pelo fanatismo religioso, e mesmo assim uma pessoa extremamente sádica e violenta.




O desenrolar da história é um pouco lento, o que gera ressalvas devido ao fato que a primeira temporada foi frenética, e algo que me incomodou e fez demorar um pouco mais a ver tudo. Mas, que ainda assim, não tira o brilho de todas as cenas de ação protagonizadas por Jon Bernthal, que merece uma salva de palmas pela sua atuação como justiceiro; tem atores que parece que foram feitos pro personagem, né?

Outra coisa que me incomodou um pouco, foi o excesso de complicações no roteiro. Cada personagem tem seus problemas, claro, mas o fato de que isso se torna algo as vezes mais importante que o foco que o personagem tem, nos quadrinhos, que é matar bandido e ponto.




Mas no geral, a segunda temporada conta com excelentes atuações, uma trilha sonora incrível e uma fotografia exuberante. Apesar de ser arrastada em momentos, cumpre o que promete e traz uma temporada concisa e eletrizante em partes.

Vale assistir e seguir a história do anti-herói, e torcer para que não seja a última temporada. Para conferir o trailer, clique aqui.

Love to travel!

Pages