CRITICANDO | A Cinco Passos de Você - Comédia romântica pra quem quer ver comédia romântica - PREMIERE LINE

CRITICANDO | A Cinco Passos de Você - Comédia romântica pra quem quer ver comédia romântica

Share This

É muito interessante notar como as comédias românticas - ou rom coms - evoluíram drasticamente nos últimos anos sem sair do lugar, estruturalmente falando. Se tornaram uma espécie de espelho social, que nos permites analisar como a nossa visão sobre o amor, sobre os relacionamentos e sobre aceitação mudou nas últimas décadas.


Por se comunicar com parte significativa de um público jovem, se fez necessário contar histórias que representassem-no, assim como seus ideais, seus gostos. Este público é, interessantemente, mais progressista quanto a discussões e temáticas, mas conservador na estrutura e storytelling das comédias românticas. Falando abertamente, um público que quer ver novas visões sobre o amor, sobre a realidade dos relacionamentos contemporâneos, mas que quer ser "enganado" por uma estrutura simples, construída em base de clichês e que proporcione um bom momento de diversão - risos e lágrimas também, se possível. E já defendo aqui: o clichê não é ruim! O clichê é gratificante, é poderoso, quando bem utilizado.

As rom coms atuais estabeleceram uma ótima relação comercial ao entender o mercado literário como um ótimo indicativo para a produção cinematográfica. As livrarias estão cheias de best-sellers que possuem frescor e inventividade e, mais importante, público cativo e préviamente interessado em consumir as obras em adaptações cinematográficas. Um modelo de história que ganhou força nos últimos tempos é a "rom com de hospital", que traz histórias de amor paralelas a casos clínicos. O interessante deste modelo é, quando em uma proposta bem realizada, permitir uma profunda identificação no espectador, levando-o a se conectar com as situações transpostas para a tela de cinema.

Assim também é A Cinco Passos de Você, longa dirigido pelo estreante em longas Justin Baldoni (ator de séries como Jane the Virgin e CSI, diretor de curtas e documentários como My Last Days) que conta a história de Stella (Haley Lu Richardson) e Will (Cole Sprouse), dois pacientes com fibrose cística que se apaixonam. O grande problema é que, devido a uma premissa de segurança, os jovens precisam evitar o contato físico, permanecendo a 6 passos de distância um do outro. O espectador já está mais sujeito a conectar-se pois o conflito é, além de muito objetivo, real. A história deste casal é ficção, mas não a de outros pacientes com fibrose cística. Mas não há uma superexploração melodramática do assunto de forma a desrespeitar tanto o espectador como os pacientes de fibrose cística. O filme não se vale disto para comunicar com o espectador, mas de sua própria construção - dotada de muita sensibilidade em muitos momentos. O grande trunfo de A Cinco Passos de Você é aproveitar todos os clichês e estruturas das comédias românticas para contar uma nova história de "amor proibido" e, dentro de sua simplicidade, quando possível, inovar e levar uma abordagem refinada e acessível ao espectador.


A inovação começa antes mesmo do início do projeto. A Cinco Passos de Você não veio dos livros para as telas. Ambas as obras surgiram juntas, apenas o lançamento do livro foi realizado com poucos meses de antecedência. Isto dá liberdade maior para o projeto em tela, pois o permite livrar-se sem medo de entraves na adaptação. Olhando por esse lado, no entanto, vemos que o filme deixou de aproveitar sua total liberdade e poderia ser mais ousado em certos aspectos, principalmente no desenvolvimento de sua narrativa. Se na comédia romântica é possível uma abordagem mais facilitadora e previamente buscada pelo espectador, Baldoni e os departamentos de arte e fotografia não se contentam em entregar apenas o necessário para realizar a proposta. Assim que possuem espaço na obra, é possível ver a tentativa de uma construção que busca a construção de signos, o uso acertado do ponto de fuga e o uso das cores e cenografia para comunicar-se com o espectador. 

Um bom exemplo disso é em determinada cena, quando uma personagem se despede de alguns amigos, fecha a porta de seu quarto e permanece no lado esquerdo. O vazio do lado direito, após a despedida, reforça o sentimento de solidão. Ou em determinada sequência, onde uma cor é utilizada em vários objetos e, em conjunto com uma "pista" da cenografia, nos permite saber o futuro de um personagem. Apesar de serem soluções fáceis ou muito óbvias, em sua maioria, ainda é um refinamento muito difícil de encontrar atualmente no gênero. E mais importante, acessíveis - o que pode favorecer a introdução da linguagem cinematográfica, em especial se pensarmos que o filme tem como principal alvo uma faixa mais jovem do público.

Se por um lado a equipe técnica procura fugir da simplicidade da proposta, em outros aspectos isto não é possível. A trilha sonora do longa não constrói junto ao filme, sendo composta de músicas soltas. Por vezes, caem na armadilha de querer direcionar a emoção do espectador. Desnecessário, pois o apresentado em tela já possui força suficiente para isto.


A Cinco Passos de Você também acerta ao escalar sua dupla de protagonistas. Cole Sprouse constrói muito bem seu personagem, que faz a linha "rebelde com coração", começa frio e mostra ser muito gentil. É o tipo de personagem que pode gerar antipatia no espectador se não for bem realizado, mas o carisma do ator e sua inteligência ao mostrar as camadas do personagem prevalece. Haley Lu Richardson conduz o filme com muita responsabilidade. Sua atuação é muito entregue e deliciosa de assistir. Um personagem complicado e que exige explorar diversas variações emocionais. Não estranharia se a atriz alcançasse projetos de maior visibilidade como resultado de seu trabalho em A Cinco Passos de Você. O elenco de apoio cumpre sua função, sem grandes méritos. Um destaque para Kimberly Hebert Gregory, a enfermeira Barb. Esta é uma falha do roteiro, que peca ao não aproveitar tão bem estes personagens, que acabam sendo superficiais, algo que poderia ter impactado até mesmo a atuação de Sprouse e Richardson. No fim, a dupla mantém o interesse do público e nos faz sentir o peso destas relações na vida dos personagens - outra prova do bom trabalho que realizaram.

Enfim...

A Cinco Passos de Você é uma comédia romântica formulaica e gostosa de assistir. O trabalho da dupla de atores Cole Sprouse e Haley Lu Richardson, somados a um roteiro que reconhece suas simplicidades e clichês e não foge deles, faz com que o longa entregue tudo que o espectador de comédias românticas quer assistir. Por mais que o trabalho em A Cinco Passos de Você, pareça muito linear, "mais do mesmo", é importante notar que o filme cumpre sua proposta e se permite ao risco de entregar mais ao espectador. Quem quiser ver algo além de usa proposta, não sairá satisfeito. Quem entender para que veio A Cinco Passos de Você, vai assistir uma comédia romântica gostosinha - e talvez chorar um pouquinho também. 



SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS OFICIAIS: Twitter | Instagram | Facebook |

Pages